O Audax e o espírito Randonneur

Posted: June 1, 2012 by Paulo Filho in Background, Português, Training
Tags: , , ,
” A palavra “Audax” vem do latim, audacioso, corajoso.”
 

Para quem nunca ouviu falar sobre isso, trata-se de uma modalidade de ciclismo não competitivo onde o objetivo é percorrer longas distâncias de uma maneira totalmente autossuficiente.

O meu objetivo com isso é testar meus limites. A prova de 200km eu fiz em dezembro do ano passado, valendo já para o calendário 2012 de provas. Foi minha primeira pedalada com mais de 120km, e não foi fácil. Na época eu tinha acabado de comprar minha primeira bicicleta de estrada (tipo de bicicleta conhecido também como Speed). O fit dela (ajuste de altura e inclinação do selim, inclinação do guidão, tamanho do avanço) ainda era recente para mim, e a postura muito diferente do que eu estava acostumado até então. Esse tipo de ajuste vai acontecendo com o tempo, e assim você vai ficando cada vez mais confortável em cima da bicicleta. Completei os 200km em 11h30, sendo que o tempo máximo estabelecido  era de 13h30, com todo esse tempo em cima da bicicleta, é muito importante que ela esteja o mais confortável possível, de outra forma não há preparo físico que resolva, no final você estará com dores nas mãos, nas costas, nos pés, joelhos e no traseiro. Hoje com quase 2000km pedalados nessa mesma bicicleta já me sinto 100% confortável.

Eu no Posto de Controle depois de 140km pedalados

Estou muito mais treinado de quando fiz os 200km, bicicleta ajustada, pernas treinadas, equipamento certo. Mas tudo isso pode não ser o suficiente. Como bem lembrado pelo Odir do blog As Bicicletas, 300 não é 200 + 100, numa prova longa como essa, o mais difícil não é o esforço físico, mas sim ter cabeça para administrar a pedalada. Você tem que ser constante, começar e terminar no mesmo ritmo. Nada de pedalar em pé na bicicleta, se você tem marchas, use-as de maneira consciente e evite o desperdício energético. A busca aqui não é pelo melhor tempo, mas sim por estar inteiro no final da prova, ninguém está numa prova dessa para ganhar dinheiro, não há prêmios. Quem participa é porque gosta, por que ama o ciclismo e pedala por diversão, por paixão e pelo desafio. Não o desafio de ser melhor que ninguém, mas de ser no final, melhor do que você era no início da prova. Cada pedalada te deixa mais próximo da bicicleta, não no sentido espacial claro, mas sim no relacionamento homem-máquina. A bicicleta começa cada vez mais a ser uma extensão do seu próprio corpo e começamos aí a entender nosso corpo e como ele reage às diferentes condições. A sua relação com seu corpo também muda, levando ele aos limites, você o conhece melhor. Ninguém sabe da própria auto-capacidade até colocada à prova. E esse eu acredito ser o que chama-se de “Espírito Randonneur”.

Acredito que provas como essa vão me deixar mais preparado para o 360extremes, já que pedalar em diversas condições climáticas e por muitas horas, vai me ajudar a atingir o que o cicloturista Antonio Olinto chama de: “endurância ou resistência, que é vital em todos os tipos de viagem de bicicleta. A endurância é que nos dá a coragem e disposição de prosseguir a viagem mesmo que nas primeiras horas do dia, o clima esteja péssimo ou que nos sintamos esgotados após o terceiro ou quarto dia de viagem, quando a primeira empolgação já se foi.”

Fontes:
http://audaxsp.wordpress.com/
http://www.olinto.com.br/
http://asbicicletas.wordpress.com/

Comments
  1. Tânia says:

    “Não o desafio de ser melhor que ninguém, mas de ser no final, melhor do que você era no início da prova.” Não poderia concordar mais!
    Comecei a “brincar” de Audax esse ano, fiz um 200 e um 300. E nesse último percebi que meu corpo é capaz de muito mais do que eu imaginava. Acho que nunca sofri tanto em nada que eu tenha feito antes na minha vida como eu sofri nessa prova. E por isso a satisfação de completar foi indescritível.
    Em um desafio desses a gente aprende muito sobre nós mesmos, não só sobre a capacidade física, mas sobre o que nossa mente é capaz para nos fazer atingir um objetivo. Agora é treinar pro 400km 🙂

  2. Paulo Filho says:

    Oi Tânia, realmente.. foi sofrido os meus 300 também, ultimos 60km foi no sufoco. Ainda vou fazer um post sobre ele. 400km é agora em agosto pra mim… muuuito treino pela frente!

  3. […] agora esse final de semana vou participar do Desafio Rural. Trata-se de uma prova no estilo Randonneur, onde o ciclista deve ser totalmente auto-suficiente. Não é também uma prova competitiva, não […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s