Sobre selims: Uma briga a mais, um treino a menos

Posted: November 1, 2012 by Paulo Filho in Uncategorized

O ciclista tem necessariamente três pontos de 3 pontos de contato com a bike: Guidão, Selim e Pedais.

O mais importe quando se trata de conforto é o selim. Pensando assim, sempre achei que vale a pena investir num bom selim se a proposta é dedicar horas ao uso daquela bicicleta.
Eu tenho já há mais de um ano, o selim que é unanimidade quando se fala de conforto em cicloturismo. Um selim inglês da marca Brooks que tem o mesmo processo de fabricação desde 1866. Os selims da brooks, são feitos de couro e não possuem nenhum tipo de acolchoado, trata-se de uma tira de couro maleável que se adapta às curvas do ciclista.  Esse processo de amaciamento dura em torno de 300km. Depois desse período o selim fica bastante confortável mesmo depois de 14horas pedalando no mesmo dia.

Eu tenho hoje três bicicletas, cada uma para usos diferentes, mas possuia apenas um selim Brooks, o modelo B17 Narrow.

Brooks B17 Narrow

Eu utilizava ele na minha bike de estrada, que apesar de não ser a que eu mais uso, é que quando eu pego, fico mais horas em cima. A minha bike urbana, que utilizo todos os dias roda muito mais, mas como são deslocamentos mais curtos eu acabo ficando no máximo 40minutos seguidos em cima dela. Já na de estrada pelo menos aos sábados são 4 horas pedalando.

Surgiu porém na semana passada a oportunidade de comprar mais um selim Brooks. Um amigo tinha comprado para montar uma bicicleta nova mas desistiu, então tinha o banco ainda sem uso. Vendeu para mim por um preço bem bacana e eu peguei. Trata-se de um outro modelo de Brooks, o B17 imperial.

Brooks B17 Imperial

Esse modelo difere um pouco do outro por essa abertura em cima. Ela existe por um motivo: aliviar a pressão no períneo e prevenir qualquer problema que esta possa causar.

Resolvi colocar esse novo selim na bike de estrada, e passar o antigo para a bike de uso diário.
Fiz a troca e saí para um treino na ciclovia do rio Pinheiros. Da minha casa até o acesso da ciclovia na Ponte da Cidade Universitária, são 5km. Com o selim novo demorei 1hora para fazer esse trajeto, foram 4 paradas para ajeitar o selim. A altura não era tanto um problema, mas a inclinação dele sim. As vezes escorregava para frente, as vezes ficava com a ponta muito para cima. Sei que quando finalmente cheguei na ciclovia começou uma garoa fina e já estava também escurecendo. Era pra ser um treino de 57km, acabei pedalando só 20km por causa de todo o tempo perdido na briga com o selim. Mas tudo bem, esse tipo de coisas acontece. Agora é tentar amaciar ele o mais rápido possível e me preparar para as provas de bike do final do ano.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s