Archive for April, 2013

Huayna Potosi, with its summit under cloud - quite daunting!

Huayna Potosi, with its summit under cloud – quite daunting!

It has been almost a year since our first major training project, mountaineering in Bolivia, and I am very definitely missing it all and would love to go back. I don’t know what it is exactly – I must confess that I did not enjoy every minute of it; I got pretty sick for a couple of days; I must have lost a good few kilograms of weight going up those mountains; the fear of heights and looking down those steep steep drops… those 1,500metre falls just inches to one side, and those 500metre drops just inches away on my other side… nope, those knife-edge ridges were not nice! Mountaineering certainly leads to a lot of suffering if you ask me, especially when you are adapting for the first time to the high altitudes; your body just isn’t used to it and doesn’t know what to expect. Looking back at the video when I got sick and remembering back, and the change in my own physical state from good and enthusiastic, to vomiting and other nasty things, is too alarming to think about; literally in an hour or so!!

But I miss it, and I look at the photos and videos – even the one when I got sick – and the good memories of it all easily outweigh the difficult parts.

Why..??!

I guess all the moments which were hard were all balanced by the exhilaration of the challenge; really going for a goal that I had never done before but had wanted to do, and in facing some of my worst fears; going against the exhaustion with the altitude and the fatigue that the lack of oxygen causes in the body; managing to get to the summit and (more importantly!) back again… definitely amazing feelings. Seeing the tents of base camp, after 15 hours of climbing from midnight, just as the weather closes in… a superb sense of accomplishment. So I really do want to go back.

When will we be able to? Good question. I thought about it for this June, but we really do need to train for the kites, so we are going to Fortaleza for training with that for a week or so. Then we will have to keep working to keep income in for paying for this whole project; a month or so training up in northern Canada in February next year… meaning that may be possible next June or July – this would be the last chance before heading on the actual journey… so here’s hoping.

O tempo passa

Cada mês que termina parece um ciclo que se fecha, nessa vida de correr atrás de sonhos cada dia é na verdade menos um dia. Ficamos correndo atrás e por mais que a cada dia estejamos mais perto de partir, ainda falta muito a se fazer.

O treino evolui e isso nos dá confiança para continuar, e nossa evolução é a prova de nossa determinação. O problema com essa rotina de treinos e de se aprimorar mais nos fez ter uma sede gigante, o que mais ver sempre novas modalidades ou treinos que penso ser legal ter em nossa bagagem, e toda essa vontade eu tenho que lidar e saber pesar o que realmente é necessário por agora e administrar as prioridades porque se fosse me deixar levar por cada coisa que penso ser legal eu teria que viver 24 horas para esse projeto o que infelizmente ainda não dá.
O preparo da mente está bom, hoje tenho uma confiança e uma consciência dos meus limites e das minhas superações que jamais tive, vejo que isso se aprimora a cada nova experiência. O exercício mental é diário e deve ser praticado sempre se quer que algo vire parte do seu mecanismo. Qualquer nova característica deve ser tratada como um mantra repetida diversas vezes até fazer parte de nosso mecanismo interno.
No momento venho fazendo esse trabalho e tento me tornar mais organizada e disciplinada.
Disciplina, a cada leitura vejo a importância dessa característica, que sempre me foi baixa, e hoje me vejo focada em criar alguma.
Organização também não é algo que me foi ensinado em casa ou que tenha vindo na minha raiz, mas tenho que trabalhar isso. Sou ótima em lidar com prazos e organizar meu tempo no trabalho só precisa estender isso para as horas fora da minha ilha.
Em relação ao condicionamento físico, sinto que estou melhorando, com o trabalho do Alércio Girio vejo meu corpo mais forte e resistente. Além de aprender diversas outras coisas que antes me pareciam ou muito difíceis ou infantis: como correr e pular. O treinamento funcional certamente é um grande passo que tomamos e as mudanças são claras.
A alimentação está numa fase estranha, toda essa pressão de perder 4 kg de gordura em 10 semanas é algo estranho para mim mas venho usado isso para me ajudar em me manter disciplinada.
Para maio posso garantir muitas mudanças o Entre Papos e Panelas será constantes, teremos vídeos de treinos e muito mais, a interatividade vai crescer e muito por aqui e se você tiver ideias diga aí e nos ajude a chegar cada dia mais longe com esse projeto!

Waste by the Brooklyn BridgePassing by the Brooklyn Bridge just days after Hurricane Sandy struck New York. The rubbish of all the waste caused accumulating in the sidewalks.

Galapagos cliffs

Nazcar Boobies at the Galapagos, grooming each other by the cliffs in the midst of a massive amount of neighbouring wildlife . It is difficult to even walk without having be careful to put a foot on an iguana basking in the sunlight or a boobie nest in the middle of the path.

Around the world… the hard way…

Galapagos - SantaFe001

The wildlife on the different islands of the Galapagos is fascinating and abundant, with each island having their own unique environments. The Land Iguana of Santa Fe island will be found nowhere else.

Vida Saudável!
Na Terça-feira  completei 1 semana de regime… Acho que até agora o maior desafio foi por ser meu aniversário então fiquei a base de chá verde na festa e jantei em casa antes de ir… Os amigos são os amigos, alguns te entendem e te apoiam já outros se divertem em te tentar com tudo o que veem pela frente.
Tenho conseguido me organizar e me manter disciplinada, na segunda talvez tenha sido o dia mais difícil, tive que correr de cima pra baixo na cidade, e tive que comer a minha marmita fria no taxi e depois comprei o iogurte no caminho, como não tinha fruta na vendinha, tomei o iogurte sem nada mesmo, ainda bem que gosto!
Ser mulher só complica as coisas, de TPM não poder recorrer ao chocolate me deixa querendo ficar ainda mais irritada, mas me foco pensando que tenho um bom motivo. O doce em si não é um problema, até porque chocolate eu gosto de amargo, sou daquelas que quando vê que lançaram mais uma barrinha 90% cacau abro um sorriso gigante, o que na verdade só facilita, quando a tpm aperta recorro a um café se açúcar e tudo certo.
Organizar a alimentação anda fácil, como não preciso cozinhar muita coisa, e normalmente os pratos são assados eu meio que coloco tudo numa assadeira e deixo o resto por conta do fogão.
Acho o mais inacreditável é que parece que tudo está se apertando na mesma semana:
Primeiro o regime proposto pela Isabella Alencar, depois as tarefas que estão começando a ser incluídas pelo Personal Alércio Dias, e ontem chego na musculação e a Luciana trocou todo o meu treino por um bem mais pesado.
Mas o jeito é respirar fundo e seguir concentrada!
Sigam torcendo por mim.
Mais tarde posto as minhas refeições para vocês conferirem como não estou passando fome!
By the frozen river, Haerbin, northern China - hoarfrost clings to the trees as warm vapour freezes over night onto their branches. The river to the side is frozen solid in the -40C environment.

By the frozen river, Haerbin, northern China – hoarfrost clings to the trees as warm vapour freezes over night onto their branches. The river to the side is frozen solid in the -40C environment.

O ingrediente escolhido pela Dra. Isabella Alencar essa semana é a amêndoa.
As amêndoas são fontes de fósforo, cálcio, vitamina B2, fibra, proteínas e vitamina E. Além de fontes de gorduras boas, possuem propriedades relaxantes sendo uma ótima opção em momentos de estresse..
Por ser tão um alimento tão rico, escolhemos ele para te dar opções de leite vegetal!
Espero que goste!
North Face Hayasa trail-running shoes - find them at Casa de Pedra in São Paulo

North Face Hayasa trail-running shoes – find them at Casa de Pedra in São Paulo

New running shoes..!

Saucony

My old Saucony shoes… slightly worse for wear..

My old Saucony shoes have, after a year and bit of solid use running and casual walking, bitten the dust. Shame really as they were great shoes to run in. Nice and light, comfortable, pretty sturdy, and I liked the colour scheme of them. First of all holes started to appear at the front end of both trainers where my big toe is, then  gradually the fabric became weaker and weaker until finally on one of them the side fabric became detached from the sole and the shoe isn’t really useable any more, unfortunately. So it is a farewell to a good pair of trainers.

The North Face - Hayasa Running Shoes

The North Face – Hayasa Single Track Running Shoes

In their place I have got The North Face Hayasa trail running shoes from Casa de Pedra – a nice red colour which stands out well enough as well. Nice and light, with a pretty good grip, strong and also reinforced toe-ends to help protect from bumps and the like (as well as hopefully stopping my big toes from poking holes in to them!). The laces are great – a sort of soft stretchy material which just doesn’t come undone. And very importantly for me, very comfortable with a nice and snug fit. They are most decided neutral in the way they are built, so just about right for my feet. In short, it was love at first fit when I tried them on. I needed to get them before the half marathon in Rio, which I did manage to do. Unfortunately, it was only a couple of days before the race. And it really isn’t recommended to start hard running in new shoes without having worn them in. So on the day before the race, the Saturday, I just walked around in Rio for the day, just trying to get used to them and them used to me. Chugging alongIt seemed to work, though how much this was to do with my “walking-in” or the general ultra-good fit of the shoe, am not sure. As I mentioned in a previous post, I managed to get a time of 1h54m59s – a time that I was very pleased with as I imagined taking two hours and I had not done much dedicated running training, and especially not over that kind of distance. And at the end of it all, my feet felt fine, as did my knees. Just the muscles were tired, as you can imagine! But the shoes had done their job and kept my feet nicely protected with just a couple of toe blisters on one foot, but nothing bad. I never really imagined the North Face making good running shoes, and though these are more for trail running (and have received good reviews for this as well – check this one out), they were great for running along the roads in Rio and I wouldn’t hesitate to recommend them to anyone interested.

Casa de Pedra

Banff-Jasper011

 

Going on to the Columbia ice field feels like going to the moon, jumping on and off these fantastic buggies with huge wheels and on to this freezing cold, alien world on the glacier coming down from the plateau…

On the Brazil side of the falls, you can get within touching distance and really feel the power of the masses of water flowing and falling down the river.

On the Brazil side of the falls, you can get within touching distance and really feel the power of the masses of water flowing and falling down the river.

Posing at the beginning of the journey

Posing at the beginning of the journey

As novidades não param nesse ano de 2013, algumas mais excitantes do que outras, e hoje viemos aqui para comunicar algo não muito legal.

Uma parceria iniciada em julho de 2012 e que esperávamos contar até o fim dessa expedição terminou precocemente. Depois de um mês cheio de perrengues, surpresas e muito frio na Grã Bretanha, e de um tempo um tanto dispersos a equipe finalmente sentou para conversar e definir o planejamento,  as prosprecções e o calendário de treinos e eventos deste ano.
Acredito que esse período pós LEJOG serviu para todos avaliarem melhor onde cada um precisa melhorar.
O que não imaginávamos é que essa reavaliação do que o projeto é pra cada um e o que podemos fazer para ele se realizar geraria uma partida.
Paulo Nas Estradas Britânicas

Paulo Nas Estradas Britânicas

O Paulo deixa o projeto depois de 9 meses, o que pode parecer pouco tempo na verdade foi um período importante, acabamos mudando o nosso plano inicial começando os treinos de bike bem antes do esperado, por indicação dele conhecemos o Desafio Bicicletas ao Mar que nos ensinou e ajudou a construir a confiança sobre os pedais, em menos de 1 ano de bike já pedalamos para diversas cidades em torno de São Paulo e conquistamos nossa LEJOG durante o inverno britânico. Certamente toda essa bagagem ciclistíca hoje é fruto dessa parceria.

Uma pena ter que escrever sobre isso, mais um momento que o 360 Extremes vai ter que superar, mas quem sabe em algum trecho da viagem ele não nos acompanha só por acompanhar!
 Desejo para ele sorte, que a sua jornada seja recheada de sucesso, conhecimento e surpresas boas, que a gente se encontre nas estrada desse mundo e nos pedais de finais de semana.

Hummingbird hovering