Archive for the ‘Kite’ Category

A viagem até fortaleza foi um tanto cansativa. Dentro do avião estava muito frio e havia muitas crianças choronas em nosso voo. Como chegamos de madrugada, eu resolvi enrolar no aeroporto para não chegar tão tarde na casa dos meus tios.

Ficamos no aeroporto por 4 horas, e entre um cochilo e outro dedicávamos nosso tempo a bater recordes nos joguinhos do tablet como Angry Birds e Magic Alchemist.

Saindo do aeroporto pegamos um taxi até a 30 Nós, a escola de Kite surf e Wakeboard, lá conhecemos o Thiago um dos nossos instrutores e conhecemos a unidade da escola mais voltada a Wake. Um lugar super bonito e bem estruturado no bairro Edson Queiroz.

Depois de muito bate papo, fomos de taxi até a casa dos meus tio na Maraponga. Foi muito bom rever a família. A Jeane, minha prima, é uma ótima companhia sempre e a casa de Maraponga um máquina do tempo com tantas memórias.

Não sei se vocês sabem, mas quando eu tinha uns 12 anos me mudei para fortaleza com minha mão e o meu irmão Gabriel. Moramos aqui por 2 anos e meio. Nessa época moramos um tempo nessa casa com meus primos. E foi aqui que vivi muitas coisas: meu primeiro cachorro, tomei meu primeiro copo de açaí, tive que lidar com a separação dos meus pais, com a distância do meu irmão mais velho Marinho, com a falta dos amigos… E muito mais! Tantas coisas que lembro hoje com imenso carinho. Certamente Fortaleza foi um dos lugares que fui mais feliz na minha vida, e só de pisar o pé aqui, e sentir essa brisa leve que ameniza o calor me faz super feliz.

Se passaram 15 anos desde quando voltei a morar em São Paulo, no começo víamos para cá nas férias, ou seja 2 vezes por ano estávamos aqui. Mas com o passar do tempo foi ficando difícil. E já faziam uns 10 anos que não vinha para cá.

A cidade mudou muito, cresceu!

Não andei muito, na verdade ontem e hoje fiquei aqui curtindo a família e descansando. Mas só de ver o quanto a Maraponga mudou fico imaginando como deve estar o centro, a Aldeota, o Papicu, a Beira Mar e as praias!

Amanhã teremos a primeira aula de Kite em Cumbuco, mas essa já é uma coisa para contarmos depois!

Kite surfers

Kite Surfing?

Yup! This will be our next main training project (while we keep up the cycling and the general fitness as well as our own individual challenges…) and one am particularly looking forward to as it will probably be the most fun. But why Kite Surfing? Will we going kite surfing during the actual expedition..?

A very simplified map of how the winds in Antarctica work - plenty out there more comprehensive than this! But basically, until the South Pole, we will be going into the wind, though after it, it will be in our favour...

A very simplified map of how the winds in Antarctica work – plenty out there more comprehensive than this! But basically, until the South Pole, we will be going into the wind, though after it, it will be in our favour…

Well when we are on Antarctica, when the winds are in our favour (mainly, most likely, when we leave the Pole towards McMurdo as the Katabatic winds blow off from the Antarctic plateau down and towards the coast) we will be going by kite-ski. This form of power helps… a lot – when skiing we will be going and hauling our 120kg pulks around 15km or so per day, if things are good. Kite-skiing will allow us to travel around ten times this speed, and so make it possible to cross the continent before the winter closes in.  When we are in northern Canada this coming February, we will be practicing kite ski, and we hope to embark on a smaller expedition of 600km across the Greenland Icecap from west-to-east next May; an expedition that will take a month or so, and which we will do plenty of kite-skiing.

Here in Brazil as you can imagine it is difficult to find places to ski… okay, not difficult: impossible. We would have to go to Bariloche in Argentina to be able to enjoy such opportunities. However, the principals behind kite surfing, in terms of using the wind and maintaining your balance, are similar to kite ski: using the wind is everything. They also say that kite-surfing is harder because it is harder to maintain your balance on water as opposed to snow and ice, which is what it would be like in the Antarctic. So the more practice we get with it better and will hopefully make our lives much easier when we are a) in the training at Baffin Island; b) the Greenland traverse and c) for the full expedition.

So yes, at the beginning of June, we will be going up to Fortaleza, with the glorious sunshine and waves of Fortaleza, to open a new chapter of our training for this whole project. Should be fun!

Kite surfing