Archive for the ‘Nutrition’ Category

Arroz integral com cogumelos, hamburguer de salmão e gergelim e salada de folhas com ovo de codorna

Arroz integral com cogumelos, hamburguer de salmão e gergelim e salada de folhas com ovo de codorna

Well, aside from the physical training, we have still been seeing our nutritionist, Isabella Alencar, regularly to discuss our food and progress with everything. We need to do some regular blood tests, just to see the levels of the various vitamins, cholesteral and everything – everything was good last time, though just to make sure that everything has stayed good and even, hopefully, improved.

Peito de Frango assado com Cenouras, Brocolis Refogado e Cuzcuz Marroquino Com Limão

Peito de Frango assado com Cenouras, Brocolis Refogado e Cuzcuz Marroquino Com Limão

Poor Natalia has, however, had to go on a diet for the next few weeks – she is into her third week of ten – to lose about 5kg. She is in good form, but Isabella and our personal trainer, Alercinho, think that it will help in all round performance. In the morning she has to drink a protein shake plus a slice of toast with something like cottage cheese. For lunch and dinner, it doesn’t mean that she has to avoid any particular foods – she just has to be limited. For these meals she can have two soup-spoons worth of carbs like rice, cuscus or pasta; two small pieces of chicken or beef or other protein; three soup spoons of vegetables, and salad. It is good because we have been eating pretty nice and varied meals after the gym in the evening.

As for me, I have to go back to a lactose-free diet for at least a month – basically there are suspicions that I have an intolerance to milk products, so no cheese, yoghurt, milk, milk chocolate or anything like that for me… shame because that pretty much covers all of my favorite foods! Have done this once before and it wasn’t too hard once I got into it… it’s just the thought of missing all these things which isn’t great! But I gotta do what I gotta do..!

Vida Saudável!
Na Terça-feira  completei 1 semana de regime… Acho que até agora o maior desafio foi por ser meu aniversário então fiquei a base de chá verde na festa e jantei em casa antes de ir… Os amigos são os amigos, alguns te entendem e te apoiam já outros se divertem em te tentar com tudo o que veem pela frente.
Tenho conseguido me organizar e me manter disciplinada, na segunda talvez tenha sido o dia mais difícil, tive que correr de cima pra baixo na cidade, e tive que comer a minha marmita fria no taxi e depois comprei o iogurte no caminho, como não tinha fruta na vendinha, tomei o iogurte sem nada mesmo, ainda bem que gosto!
Ser mulher só complica as coisas, de TPM não poder recorrer ao chocolate me deixa querendo ficar ainda mais irritada, mas me foco pensando que tenho um bom motivo. O doce em si não é um problema, até porque chocolate eu gosto de amargo, sou daquelas que quando vê que lançaram mais uma barrinha 90% cacau abro um sorriso gigante, o que na verdade só facilita, quando a tpm aperta recorro a um café se açúcar e tudo certo.
Organizar a alimentação anda fácil, como não preciso cozinhar muita coisa, e normalmente os pratos são assados eu meio que coloco tudo numa assadeira e deixo o resto por conta do fogão.
Acho o mais inacreditável é que parece que tudo está se apertando na mesma semana:
Primeiro o regime proposto pela Isabella Alencar, depois as tarefas que estão começando a ser incluídas pelo Personal Alércio Dias, e ontem chego na musculação e a Luciana trocou todo o meu treino por um bem mais pesado.
Mas o jeito é respirar fundo e seguir concentrada!
Sigam torcendo por mim.
Mais tarde posto as minhas refeições para vocês conferirem como não estou passando fome!
O ingrediente escolhido pela Dra. Isabella Alencar essa semana é a amêndoa.
As amêndoas são fontes de fósforo, cálcio, vitamina B2, fibra, proteínas e vitamina E. Além de fontes de gorduras boas, possuem propriedades relaxantes sendo uma ótima opção em momentos de estresse..
Por ser tão um alimento tão rico, escolhemos ele para te dar opções de leite vegetal!
Espero que goste!

Food shopping

Ontem divulguei aqui o passeio oferecido pela Kaiporah esse final de semana, englobando bike e escalada. Já escrevi aqui antes como acredito que esses dois esportes são parceiros e em como vejo cada vez mais ciclistas na Casa de Pedra e mais escaladores se aliando a bike para manter o condicionamento físico em dia.

Por isso hoje vou dar uma dica e falar um pouco da importância de uma alimentação adequeada para quem pratica essas modalidades e quer alcançar um bom desempenho nos treinos.

NewFoodPyramid1Por se tratarem de modalidades onde os treinos são de longa duração e com variados graus de dificuldade, intensidade e serem praticados outdoor as refeições devem ser constituídas em maior proporção por carboidratos e a ingestão de liquidos deve ser constante. Carboidratos de baixo a médio índice glicêmico (ex.:batata doce, granola, biscoito integral, maçã, morango) são as opção mais recomendadas por fornecerem energia de forma gradual, evitando os picos glicêmicos. Os alimentos antioxidantes (ex.: frutas vermelhas, frutas cítricas, verduras escuras, siga o princípio de quanto mais colorido melhor) ajudam na redução de radicais livres.

Na noite anterior a saída para rocha ou pedal deve se evitar alimentos ricos em lipídeos (ex.: molhos, biscoitos recheados, maionese) e proteínas, que são mais difíceis de ser digeridas e podem assim gerar desconforto; fibras por acelerarem o processo intestinal e a cafeína por ser diurética te faz perder liquidos mais rápido e podendo levar até mesmo a desidratação. Os doces e alimentos cheios de açúcar, e que a maioria dos ciclistas tem como queridinhos em suas mochilas e bagageiros fornecem uma energia não efetiva, ela leva o corpo a um pico no indíce glicêmico o que te dá a sensação de energia, mas essa energia dura pouco tempo, o que na maioria das vezes te faz consumir muito mais colorias e açúcar necessário.

Suco de beterraba com laranja antes de pedalar!

Suco de beterraba com laranja antes de pedalar!

Viu se alimentar não é tão fácil quanto você pensa, e perder peso nem sempre é sinônimo de estar fazendo o certo, afinal de contas a perda rápida pode estar relacionada à desidratação e à perda de massa magra, sendo que a busca sempre é pelo aumento de massa magra e não a redução, e isso só é possível com a dieta certa você. Mas dieta certa não é dieta de revista ou a dieta do amigo por que cada pessoa tem seu organismo e seu metabolismo por isso nós do 360 Extremes contamos com a ajuda de uma nutricionista. Com a Dra. Isabella Alencar nós aprendemos a escolher melhor o que comer no dia-a-dia e durante os treinos e com isso ganhamos muito: perda de peso gordo e aumento de peso magro, maior disposição, melhor desempenho em dias longos, recuperação de músculos mais rápida e diminuição de cansaço nas horas seguintes a prática.

Hoje finalmente estreia o Entre Papos e Panelas, um programete semanal que teremos aqui no site.

A Dra. Isabella Alencar – nossa nutricionista funcional – comandará as facas e panelas da nossa cozinha para ensinar receitas super práticas, saudáveis e que certamente ajudará na nossa – e porque não sua – performance esportiva.

E por falar em performance nada mais justo que a primeira receita seja daquela que é adorada pela maioria dos atletas de alta performance: a batata-doce.O baixo índice glicêmico dela nos permite ter energia por mais tempo durante a atividade esportiva!

Abaixo uma lista de benefícios sobre esse tubérculo só lembrado nas nossas mesas durante as festas juninas:

  • Fonte de carboidratos, fibras;
  •  Rica em vitaminas do complexo B e sais minerais, como cálcio, ferro, potássio e fósforo.
  •  Regula o sistema nervoso e Digestivo;
  •  Previne a hipertensão;

Cada 100g de batata doce tem em média 116 calorias – 1,16g de proteínas, 30,10g de carboidratos e 0,32g de lipídios.

Entre Papos e Panelas

Posted: March 19, 2013 by Natália Almeida in Nutrition, Português, videos
Tags: , , , , , ,

Essa quarta-feira (20/03/2013) estreia o Entre Papos e Panelas, um programa comandado pela Isabella Alencar onde você vai aprender várias dicas e receitas para uma vida saudável.

 

 

 

Curso de manutenção para evitar perrengues assim!

Curso de manutenção para evitar perrengues assim1

Para fazer fazer a micro expedição de bike dividimos em três frente de ação:
Treino Indoor: Treinos de musculação focados em pernas, abdomem e lombar 4 vezes por semana, ainda assim trabalhando de forma mais leve os musculos dos braços, ombros e peitoral. Aeróbico também 4 vezes na semana revezando entre esteira e bicicleta, num tempo médio de 1 hora e focando sempre a mlhora da resistência e do trabalho cardio-respiratório. Usamos a escalada para melhorar a parte psicológica e auxiliar no preparo físico.

Treino com amigos na Estrada dos Romeiros

Treino com amigos na Estrada dos Romeiros

Treino Outdoor: ciclismo na estrada, com rotas longas (entre 90-120km/dia), recheadas de subidas, finais de semana com dias consecutivos de pedalada, administrando tempo e impondo um ritmo.
Alimentação: agora mais do que nunca ficamos prestando atenção em como identificar o que o nosso oraganismos gosta e aceita melhor nos pedais. Entendo os tipos de suplementos (gel, barra, bloco, favo…), quais cada um gostava mais, o tempo de desgaste interno e das paradas para comer, o que e quanto comer antes/durante/depois… Conversaremos ainda mais com a nossa nutricionista Isabella Alencar quais serão as opções encontradas e qual será a melhor rotina alimentar para se ter nas condições que encontraremos.

Além de toda essa preocupação com o corpo e mente, tínhamos que entender e saber resolver todas as necessidades das nossas parceiras: as bikes.
Chuva, neve, lama, poeira – todas essas coisas judiam e muito da relação da bike, por isso uma rotina de limpeza e de manutenção vai ser empregada durante o trajeto. Agora o que podíamos fazer era um curso de mecânica básica, que por mais básico que pareça é algo um tanto difícil de marcar. Então o jeito foi ler muito, comprar manuais e entender um pouco. Essa semana finalmente conseguimos um lugar – a bicicletaria que sempre revisa as nossas magrelas organizou um cursinho de ultima hora. Ontem ficamos lá até quase 23h entendendo como regular freios, câmbios, arrumar raios, limpar e cuidar do nosso veículo. Foi bem cansativo mas muito proveitoso.

Emendando a corrente.

Emendando a corrente.


Saio de São Paulo hoje com a certeza de que temos um desafio imenso pela frente, confio em meu corpo, minha cabeça e em nosso planejamento.
Com certeza cada dia será recheado de novos obstáculos mas enfrentá-los e vencê-los será uma lição para se levar na vida.
Conto com vocês como companhia aqui no site e com a transmissão de energia em cada virada de pedal.

O valor de uma boa alimentação

Posted: January 16, 2013 by Natália Almeida in Nutrition
Tags: , , ,

leite-de-amendoas-blog

 
Alimentação não é só a base de uma vida saudável como também a garantia de um bom aproveitamento dos treinos. Um plano alimentar melhora o rendimento e a performance esportiva, auxilia na recuperação dos músculos e diminui o risco de lesão muscular. Antes de treinar o foco é fornecer energia suficiente para a prática e depois do treino uma alimentação equilibrada com nutrientes que reponham a energia perdida e ajude na recuperação de tecidos.
 
Montar um plano alimentar sozinho ou baseado em dietas da moda tem grandes chances de não darem certo e prejudicarem suas metas. Por isso mesmo logo no início do 360 Extremes buscamos o acompanhamento nutricional.
Nutricionista pós-graduada em  nutrição clínica e funcional

Nutricionista pós-graduada em nutrição clínica e funcional

Nesses mais de 16 meses de projeto temos ao nosso lado a Dra. Isabella Alencar, que nos acompanha e nos auxilia nesse setor. A princípio ela teve um trabalho para nos re-educar, afinal de contas vivíamos basicamente a base de queijo e vinho. Com o passar do tempo foi nos levando a uma dieta que visasse uma melhor performance nos treinos – antes focando os dias de escalada e hoje nas pedaladas longas. 
 
Hoje tivemos mais um encontro para entendermos toda a dinâmica alimentar que essa nossa pequena expedição vai exigir.
 
Na Grã- Bretanha gastaremos muita caloria por conta dos dias consecutivos de pedalada e do frio, exigindo um cuidado muito maior com a hidratação e o consumo de carboidrato. Esse cuidado começara antes mesmo de começar a pedalar – no mínimo 1 hora antes temos de consumir cada um a sua quantidade de carboidrato (de baixo índice glícemico) e 200ml de água – durante o dia a rotina pede que nos alimentemos de 1 em 1 hora e o consumo de líquidos de 15 em 15 minutos.
Certamente nos primeiros dias será complicado entrar nessa rotina, mas com o tempo acabaremos nos acostumando e ficará ainda mais fácil ao notarmos os benefícios.
 
Ser disciplinado com a alimentação será primordial para evitarmos: cãibras, lesões, fadiga e cansaço excessivo. 
 
Pra vocês entederem mais o benefício de uma alimentacão equilibrada e de acordo com a sua rotina, a partir de agora você poderá ver todas as dicas, receita e conselhos da Isabella aqui no nosso site e também no site dela.
 

Os segredos da cor rubi

Posted: October 9, 2012 by Natália Almeida in Cycling, Nutrition
Tags: , , , ,
Suco de beterraba com laranja antes de pedalar!

Suco de beterraba com laranja antes de pedalar!

Nesse pouco tempo de pedalada já ouvi de ciclistas várias teorias e várias crenças a respeito da alimentação no pedal. Sinto que a maior parte segue dicas de amigos ou de algo que leu na internet.

A ideia mais enraizada é a que temos que comer bastante açúcar. Então nos intervalos do pedal se entopem de doces e chocolates. Os que tentam ser mais saudáveis levam consigo potinhos de castanhas e outros ainda ficam o dia todo sem comer e às vezes sem beber água.

Eu fico impressionada com isso, e o motivo é simples, por causa desse projeto eu e o Ben investimos na nossa saúde e por reconhecer o quanto uma alimentação balanceada e equilibrada com a nossa rotina é importante fazemos um acompanhamento nutricional. Assim sabemos que para um dia pedalando na, rua de baixo de sol, precisamos muito mais que castanhas e chocolate; sabemos também que um bom pedal começa com uma boa janta que nos fornecerá carboidratos para o dia seguinte. E o café da manhã também tem os seus macetes por isso todos os nossos textos que contam as nossas pedaladas começam com nosso super suco de beterraba, e para entender melhor o porque dessa nessa rotina pedimos para a nossa nutricionista Isabella Alencar um texto explicando:

Suco de beterraba para ciclistas!

“Em 2011 foi publicado na revista Medicine and Science in Sports and Exercise, um estudo realizado com consumo de suco de beterraba, durante apenas 6 dias, por ciclistas que competiram em provas de 4km e 16,1km. Em média os ciclistas foram 11 segundos mais rápidos na distância de 4km e 45 segundos mais rápidos na distância de 16,1k, resultando em uma melhora no desempenho que, em nível de competição, pode fazer uma diferença real.
Muitos outros estudos foram publicados mostrando a melhora do desempenho em ciclistas como o estudo publicado esse ano na revista International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism com melhora da potência de saída e diminuição do VO2 durante o exercício submáximo.
Esses resultados positivos ocorrem pela presenta de nitrato. O nitrato é convertido em nitrito e posteriormente em óxido nítrico, o que reduz o consumo de oxigênio durante o exercício, ou seja, ocorre maior eficiência da mitocôndria, que consome menos oxigênio e produz mais ATP (substância rica em energia por molécula de oxigênio consumido), melhorando assim a capacidade de gerar energia e a eficácia na utilização de oxigênio.
E por essa ação vasodilatadora o suco de beterraba pode melhorar a pressão arterial, além de ser fonte de betacaroteno, um potente antioxidante.
Consulte sempre um nutricionista para auxiliar na melhora do seu desempenho e saúde!”

Realmente hoje em dia sinto um melhor desempenho e uma disposição maior durante os longos dias em cima da bike. Na nossa rotina do pedal comemos a cada 45 minutos e bebemos muita água mesmo. E uma coisa muito simples mas que você consegue perceber é ao subir uma ladeira, se você está com sede ou há muito tempo sem comer a subida sempre parece uma parede se estiver hidratado ela parece ficar mais fácil.

Então, invista em saúde, invista em você, invista nos seu desempenho, busque conhecer qual o seu tipo certo de alimentação e bom pedal!

A primeira rocha você nunca esquece em Pedra Bela, SP

Aproveitando o tema tempo do post passado, hoje queria falar na velocidade que as coisas acontecem e em como a vida parece a cada dia estar pisando mais forte no acelerador.

Eu me dei conta disso na segunda (17-09), eu e o Ben completamos 1 ano de casamento e nesse 1 ano nossa vida realmente mudou. Não pelo casamento eu digo isso. Acho que essa foi a menor das mudanças, a não ser pelos presentes que ganhamos. Mas  digo porque a mais ou menos 365 dias atrás toda essa ideia do 360 extremes começou a surgir.

Digo que o tempo passou rápido mas não que foi rápido demais, não mesmo. Olhando para atrás vejo o quanto fiz, aprendi, vi e criei nesse tempo. E olhando para frente meus olhos se enchem de lágrimas com tantas possibilidades e coisas que me aguardam. Eu encho a boca pra dizer que eu sim tenho um Mundo de possibilidades a frente. E repito que isso me emociona sim.

Tantos sonhos e conquistas que duas palavras fizeram entrar na minha vida, um mundo que há um ano atrás se o Ben não tivesse dado assas a sua imaginação ou se eu as tivesse cortado não existiriam hoje.

Depois da rocha hora de ver o pôr do sol em Salesópolis, SPHoje vejo que essas duas palavrinha (360 Extremes) nasceram de uma vontade latente em nossos corações e pensamentos. Uma vontade simples e um tanto primitiva, algo que talvez esteja presente em você ou que pelo menos você reconheça da sua época de criança. A vontade de sonhar e acreditar. Acreditar que as aventuras realmente acontecem fora dos filmes, que o mundo sim é nosso quintal e que tudo é possível se você realmente quiser.

Nesse tempo conheci um mundo novo, esse meu mundo de hoje que me encanta a cada dia e que me ensina. Treinos intensos que me introduziram a escalada, a pedalada, ao trekking. Que me levou a montanhas frias, altas e de uma beleza inimaginável; a estradas com curvas, a beira de rios e que aproveitei e suei cada quilômetro e que ao chegar onde queria me senti realizada de enxergar que sobre duas rodas cheguei inteira onde eu quis; ralei a mão, cunhei calos e levei minha cabeça a uma pressão em rochas porosas, abrasivas e de baixo de um sol escaldante tudo isso por um cume.

Conquistando um cume em Pedra Bela, SP

Aprendi tanto sobre mim, sobre meu corpo, sobre minha mente. Vi que sou fruto das atividades que incluo ou excluo do meu dia, sou feita do que como e sim  meu corpo é 70% composto de água e por isso hoje bebo bastante água para não viver uma vida desidratada.  Sou menos ansiosa e mais calma, o sorriso que sempre foi presente no meu rosto hoje se faz impossível de se desfazer, o estresse não me acomete e dos meus finais de semanas antigos só sinto falta da presença de meus amigos e familiares. A vida hoje é corrida sim, muito trabalho na semana e pedaladas longas nos finais de semana. Achar um tempo para as pessoas que amo é complicado, mas hoje sei que todos que me acompanham sentem falta assim como eu, mas me apoiam e me admiram.Conhecendo um Glaciar em Jasper, Canadá

Admiram uma coragem que levei tempo em crer e enxergar, mas que hoje depois de todo esse tempo vejo. Treinar, se comprometer e viver algo que está te levando a largar toda uma vida aqui em busca de um sonho que deve durar mais de 3 anos exige coragem, a incerteza a frente dá medo às vezes, mas o medo não consegue tirar da minha cabeça o querer de viver isso até o fim.

Mesmo o fim sendo o começo ( São Paulo – São Paulo), mas anos depois a cidade que eu devo deixar não será a mesma que eu encontrarei e essa ideia só torna tudo ainda mais interessante.

Sonhos existem e acreditar neles é o primeiro passo para que eles aconteçam, fica a dica.

Na entrada da rota de manutenção já tinha uma subida, não muito longa, não muito curta. Paramos ao fim e fizemos um pic-nic. Sentamos e dividimos um pouco das frutas, pães e castanhas que tínhamos. Todo mundo que pedalavam e nos via ria ou fazia algum comentário. Rimos e papeamos por uns 15 minutos e depois seguimos em frente. Parte do trecho de terra parte no asfalto, nenhuma grande dificuldade até onde estava o André e cia para checar os freios da galera.

Bike checada, e seguimos viagem.  As paisagens pelo caminho foram maravilhosas, me distraiam um pouco. A Mata Atlântica é cheia de cores, cheia de verdes. O ar úmido e gelado era bem gostoso, depois de tanto sol na cabeça e de tanto calor da pedalada, esse clima me agradava.  Nas descidas eu controlava minha velocidade mas não segurava o freio. A estrada tinha de um lado morro e do outro um precipício que em alguns momentos só tinha um muro baixo de mais ou menos 25 cm de altura de proteção. No caminho me peguei pensando para que servia esse muro e cheguei a conclusão que era pra salvar a bike numa possível perda de controle do ciclista, o ciclista voa precipício abaixo mas a bike fica.

Paramos em uma cacheira, lavamos o rosto na bica, respiramos ar puro e conhecemos um novo canto remoto. Em um dia tantas coisas, tantas vistas, tantas cores. Antes mesmo de terminar  o percurso minha mente seguia repetindo as imagens num processo de tentar guardar cada detalhe de forma a não ser esquecido. Me vi num passeio ao invés de um desafio. Mas como dizemos na escalada toda via tem um crux e o dessa via uma hora ia chegar. A essa altura eu tinha concluído que o crux tinha sido a primeira subida lá no Grajaú, mas de repente vejo uma subida com boa parte da galera a frente empurrando e quem pedalava tinha uma cara sofrida.

Parei a bike no início, bebi algumas goladas de água, respirei fundo e fui. Com calma, controlando a ansiedade e a respiração. Só parei na hora que um ciclista que empurrava a bike entrou na minha frente e parou, isso me irritou um bocado, pedi pra galera que empurrava tentar ficar do mesmo lado e deixar um lado livre para aqueles que tentavam pedalar.  Subi na bike e recomecei, começar a pedalar na subida é algo um tanto complicado, tentei 3 vezes até conseguir, no topo lá estava o Ben me esperando, vi em seu rosto a felicidade ao ver que consegui chegar lá em cima sem empurrar, em seu olhar eu conseguia ver o orgulho e isso me deixava ainda mais realizada. Desci da bike e comemorei com ele.  Sentamos comemos e ficamos papeando com quem já estava por lá. Dali em diante foi uma descida interminável até Cubatão.

A saída do parque Serra do Mar é num bairro bem pobre e pra evitar assaltos seguimos unidos, a orientação era de irmos num grupo sólido até a ciclovia de Santos. Passando a rodoviária eu já me sentia super feliz, chegar ao quiosque então era uma mistura de diversos sentimentos bons.

Para comemorar comemos lula, peixe e tomamos muito suco, certeza que a nossa nutricionista Isabella vai ficar feliz em saber que escolhemos esse cardápio no lugar de breja e batata frita.

Esse foi um trajeto difícil, ainda mais quando se pensar em descer pra praia, mas olhando pra trás, depois de Sorocaba, Santos não foi tão difícil assim.

Before talking about the final journey with André, O Bicicreteiro, and his group down to Santos, it is worth a quick mention about our chat with Isabella our nutritionist the other week.

It was good to see her again, and we went through the body fat/weight/muscle measurements. The results were encouraging. Natalia’s measurements were encouraging and she is getting towards the “above average” percentage of muscle/weight measurements, while I was happy to see that my category was one below the best possible – a couple more percentage points reduction of body fat / increase in muscle, and apparently I will be on course for having a body like that of a professional athlete. Wahey! Quite funny when I think about it – this time last year, I was moderately overweight – and it doesn’t stop me from hurting after one of the long bike rides we are doing! A couple of points away sounds close, but am sure it will take a lot more work to reduce it further. It is nice to see the training pay off, though.

Aside from that, we talked more about the types of foods to eat in the course of our long biking journeys, when to eat them, and various other points. Apparently beetroot juice is good for the blood to take in more oxygen, so drinking this in the morning can be helpful. I had drunk beetroot with carrot and orange juice before in Rio and that was pretty nice, though at our local place, they have just beetroot and orange, which is okayish, just tastes a little earthy. Also it is important for us to take our protein supplements after exercise as well as energy supplements during training, to make sure that we don’t burn muscle tissue when we are doing heavy work, and that we burn the carbs instead.

A lot to think about, and we will be meeting with Isabella again soon to see how things are going.

Amanhã partiremos para nossa primeira aventura de verdade. Pedalaremos até Itu,  +90km de distância, sozinhos, mas com tudo planejado. Seguiremos a rota que o André Pasqualini nos indicou. Na mochila: gel de energia, castanhas, sanduíches, frutas, azeitonas e muita água, kit de reparo, protetor solar, uma camiseta reserva, e um par de meias também.

Saída às 6h30 de casa, parada na padoca pro suco de beterraba com laranja e um bauru, e pedalaremos forte até a ciclovia de onde seguiremos até a cidade universitária. Daí em diante você pode ver no mapa:

A ideia é manter um ritmo bom mas também aproveitar o pedal, e tentar seguir o conselho da nossa nutri (lanchinhos rápidos a cada meia-hora) passaremos por Santana do Parnaíba uma cidadezinha que sempre quis conhecer, por isso não só iremos passar por ela como iremos passear também, a cidade é cheia de subidas e descidas o que deixa ainda mais interessante o treino. Pirapora do Bom jesus também promete ser um bom passeio mas mais curto.

Dependendo do horário enrolamos um pouco para não pedalar ao meio-dia, o clima anda muito quente e seco e pedalar a esse horário seria um desgaste desnecessário.

Pretendemos chegar em Itu às 17h lá teremos um bom tempo pra conhecer a cidade onde tudo é grande. Voltaremos de onibús provavelmente dormindo.

Obs.: Essa semana sem falta escreveremos sobre a descida para Santos e esse pedal.

Opção saudável: Sanduíche de Pastrami e salada mista

Desde que voltamos da Bolivia estamos tentando voltar a nossa rotina. Em relação aos treinos o ritmo está ótimo, recuperamos a forca e a resistência bem rápido e a parte aeróbica está melhor do que antes. Na escalada voltamos ao nível de antes e agora é batalhar para superar o 6 grau e chegar logo ao sétimo. O cansaço segue, mas também com nosso ritmo acredito que o estranho seria se o nosso corpo estivesse descansado. A parte mais complicada vem sendo a alimentacao. Comer de 3 em 3 horas tem se mostrado muito difícil, beber bastante água também – tem dias que lembro e bebo outros ao final do dia me sinto culpada com o relapso – para piorar na hora do jantar eu não devo ingerir carboidratos enquanto o Ben sim. Temos que pensar com equilíbrio durante cada refeição e aos finais de semana tentar não desandar por completo. Na montanha consumíamos muitos doces e de certa forma ainda sentímos uma certa necessidade de comer algo açucarado, mais uma vontade a se controlar ou pensar numa forma de satisfazê-la de forma saudável.

Dieta Low Carb: A super sopa não é mais uma opção para minhas jantas.

Esse final de semana tentei pensar em como conciliar trabalho, treino e posts e ainda assim me concentrar para poder voltar com a nossa antiga rotina alimentar, acredito que o site, a fanpage e o twitter podem ser grandes aliados. Por isso a partir de amanhã contaremos com você e a sua ajuda nessa etapa. Fique a vontade em nos dar dicas, cobrar, perguntar e comentar o nosso diário alimentar.

O bom para vocês é que vou poder dar várias receitas gostosas, saudáveis e facéis. Espero que isso seja uma boa forma de agradecimento por vocês nos empurrarem nessa empreitada.